quarta-feira, 2 de abril de 2008

É bom recordar.....


Sendo a mais nova de muitos irmãos,á sempre uma altura ou outra em que todos reunidos(ou quase todos)vem á memoria aquelas historias de criança,
historias simples é verdade, mas cheias de coisas boas de lembrar...
Apesar de sermos muitos e dos tempos serem difíceis, sempre houve muito amor, muita união...
apesar de haver situações de dizer ...parecem "cão e gato" a verdade é que quando a era preciso estávamos lá uns para os outros(e ainda estamos...o que é muito bom).
Surgem então aquelas expressões...olha lembras-te naquele dia em que fizeste essa cicatriz que tens no braço?...e então não havia de lembrar....continua aqui vivinha da silva , parece uma lagartixa, que não sai do sitio onde parou e ali ficou imóvel á muitos, muitos anos atrás.
Continua viva a razão pela qual ela foi feita, na altura sem dar conta do que se tinha passado..só mesmo quando vi todo aquele sangue sair do buraco feito na camisola bicolor entre o verde e o lilás...aquelas luzes já mais tarde no hospital onde a minha irmã mais velha me levou, para ser tratada..o medo de tudo em volta..tudo novo..nunca na minha vida tinha levado pontos, a verdade é que era muito pequena...e tinha sempre como protectores os mais velhos, que zelavam para que nada de mal acontecesse comigo,...naquele dia foi uma aventura e tanto...
a perseguição feita por mim e um dos meus irmãos mais velhos ...como se fossemos dois espiões...achei piada quando me disse "vamos segui lo"..claro que vamos, apesar de pequena sempre estava pronta para mais uma aventura, mesmo que isso fosse feito no próprio quintal...uma aventura é sempre uma aventura...
Mas depois dessa vieram muitas outras...os piqueniques feitos dentro do galinheiro das galinhas,..que na altura deixaram o espaço vazio para satisfazer a necessidade da panela...
Tudo o que havia no quintal, e que nos podessemos comer servia de farnel, os tomates plantados pelo meu pai..as cebolas novinhas com sal,..a broa cozida pela minha mãe, e que nos gostávamos de roubar as côdeas(ela sempre ficava zangada quando via a broa careca, como ela dizia) tudo isso era um manjar dos deuses...
Coisas simples, com muito sabor e agora com outro sabor ...o da saudade...sim porque as coisas simples são as que me deixam mais saudades...e que bom é lembrar desses sabores ...dos cheiros dos campos onde brincávamos, outras vezes a trabalhar,...sim porque na altura da batata todos ajudavam, nas vindimas...o vinho doce pisado pelos rapazes...humm ainda hoje gosto de saborear, aquele gostinho doce na boca..sabe tão bem.
O melhor de tudo era a inocência das brincadeiras, o poder fazer os recados da mãe sem medo de andar na rua...o bom dia dado por todos..a escola sempre com coisas novas, os jogos feitos no recreio...até os poucos castigos que recebi dados (com toda a razão) pela professora , que revi á bem pouco tempo e com muito prazer, pois ela ainda se lembrava de uma das asneiras em que eu como apreciadora de uma boa aventura ajudei a fazer...tudo isso me faz sorrir...a mim e aos meus filhos, quando ouvem estas historias ...
E tudo isso são coisas simples..como eu sempre fui e espero continuar a ser.
Uma coisa que acho já não ter, é este olhar inocente e curioso(embora continue a ser..curiosa)que com os anos ..a vida... se modificou...se transformou...
Olho para esta foto e de uma certa forma vejo a minha filha...que ainda tem este olhar..de criança.
Pena é que agora, as nossas crianças parecem ter pressa de crescer..ser grandes...mal eles sabem que o tempo de criança é maravilhoso, e passa tão depressa ...quem me dera voltar..nem que fosse por um dia, a ser criança(resta me as vezes fingir que ainda sou como eles...com eles..).
Espero que eles , assim como eu tenho , possam ter boas recordações deste tempo que é deles..
Huumm..que bom é recordar...

4 comentários:

Patti disse...

Que bonito texto o teu. Também me fizeste recordar aqueles tempos livres e sem preocupações. Logo eu que sou tão dada a lembranças.

Quanto aos nossos filhos, irão ter as recordações que lhes pertencem, a da sua geração, assim como nós temos as nossas e os nossos pais e avós as deles.

É assim, o tempo . . .

Que foto gira.

de dentro pra fora.... disse...

Espero que assim como eu, de cada vez que eles as tenham(as recordações)possam sempre sorrir..

Da foto também gosto muito, tinham me dito(não sei por quê, talvez por brincadeira), não rias..e eu assim fiz ...

LeniB disse...

É sempre muito bom recordar as brincadeiras da nossa infância e perpetuá-las com os nossos filhos, precisamente para eles mais tarde as poderem recordar também, tal como nós.
Bom fim-de-semana

de dentro pra fora.... disse...

partilhar..algo de bom...ou algo menos bom...
coisas que nos fazem sorrir...ou chorar...
é uma forma de nos darmos a conhecer...
sempre gostei de ouvir as historias dos meus pais...
espero que os meus filhos gostem de me ouvir recordar as minhas..
eu gosto de as lembrar..