sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Não te quero...


Não te quero senão porque te quero,

e de querer-te a não te querer chego,

e de esperar-te quando não te espero,

passa o meu coração do frio ao fogo.

Quero-te só porque a ti te quero,

Odeio-te sem fim e odiando te rogo,

e a medida do meu amor viajante,

é não te ver e amar-te,como um cego.

Tal vez consumirá a luz de Janeiro,

seu raio cruel meu coração inteiro,

roubando-me a chave do sossego,

nesta história só eu me morro,

e morrerei de amor porque te quero,

porque te quero amor,a sangue e fogo.


.



Pablo Nerúda

7 comentários:

ines disse...

Um sorriso grande para ti!

O QUATORZE disse...

Ola. Bom dia
Bonitos e diferentes modos,
Maneiras de se ver o amor,
No bem querer e não querer,
Impasses dum espaço de um ser.

Amizade
LUIS 14

Pitanga Doce disse...

Também gosto dessa música que toca, "mas ninguém me ensinou a gostar". Aprendi sozinha, vê lá tu!

de dentro pra fora.... disse...

Ines
obrigado pelo sorriso, é das coisa que mais gosto :)

de dentro pra fora.... disse...

14
Bem tipico no ser humano..

de dentro pra fora.... disse...

Pitanga
Falas do Michael Bublé..confesso que não conhecia,
foi-me'apresentado ' por um alguém que se tornou especial para mim..

BlueVelvet disse...

Pablo Neruda e os seus 100 Poemas de Amor...
Ou terão sido mais de 100?
Lindos, todos.
Beijinhos