quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Um grito surdo...




Já dormia profundamente quando se viu obrigada a despertar do sonho que lhe povoava a mente.

Um gesto brusco fez com que caísse na realidade. Não, não era um toque de veludo como o que sentia enquanto sonhava, era um toque para lá de agressivo, impaciente, urgente até, que a puxava para algo que ela não queria, não desejava.

Será que ele não conseguia perceber? Não está visto que não, o seu egoísmo era mais importante.

Mesmo assim foi...mesmo sem vontade foi, ou melhor deixou que assim fosse...

Foi assim que começou aquele momento, que poderia ser de encanto , mas não foi, mais parecia um ato de vingança , sabe-se lá contra que o quê ou contra quem.

Seria contra ela?. Tinha consciência de que não o merecia , mas suportou, mesmo assim.

Gritou mas em silêncio, não queria que ninguém a ouvisse.

No final não sorriu, também não chorou, talvez já não tivesse lágrimas para o fazer.

Tentou deixar cair de novo as pálpebras pesadas, não conseguiu pelo menos á primeira, a revolta não deixava.

Tudo o que queria era voltar para o seu sonho onde tudo era diferente, macio, suave.

Recordou o conforto dos toques de veludo na pele, o calor dos beijos (con)sentidos, sabia que tinha sido um sonho do qual a despertaram para um pesadelo.

Já passou, pensou, agora só queria voltar a sonhar .
Quem sabe para a proxima consegue dizer NÃO!
.

2 comentários:

BlueVelvet disse...

Ainda há mulheres que vivem assim.
Tomara um dia tenham a coragem de dizer Não.
Beijinhos

de dentro pra fora.... disse...

È uma enorme verdade, por vezes bem perto de nós e nem sequer desconfiamos...
Não sei como aguentam